terça-feira, 28 de abril de 2020

Carta de um profissional da Saúde

Nota
Por Rinaldo de Souza, profissional da Saúde e servidor público municipal de Recife/PE.

Rinaldo de Souza é biomédico

O Estado sempre se omite quando lhe é conveniente!
Os servidores da Saúde, da Educação e da Segurança, sempre são massacrados pelos gestores. São submetidos a supervisão e gestão de pessoas incompetentes simplesmente porque tem influência política ou são apadrinhados políticos de alguém influente, etc.
Num momento como este, de pandemia, a sociedade deve refletir e garantir o mínimo de dignidade aos profissionais dessas áreas, pois eles são muito mais importantes do que os políticos, o Judiciário e a Economia, juntos.
No entanto, são negligenciados, pois sem a Saúde não há vida, e a vida é o principal direito garantido pela Constituição. Arriscamos nossas vidas e de nossos familiares para garantir que a sociedade tenha qualidade de vida, tranquilidade ao sair de casa, etc. Em troca de quê? De uma política de interesse econômico, de interesse eleitoral, ou até mesmo do lucro de alguns em detrimento da “desgraça” dos outros.
Os servidores públicos precisam ter a consciência disso e exigir do Estado. Já está mais do que na hora de exigirmos um tratamento digno, baseado no princípio da segurança, ciência, eficiência e, principalmente, da dignidade humana. Estamos doando nossas vidas por nada? Não podemos aceitar isso.

Pauta
1 – Todos os profissionais de saúde devem ter o mesmo tratamento, carga horária (20h ou 24h ou 12hx72h), e acesso integral a instalações dignas ao ser humano;
2 – As unidades de Saúde devem funcionar com os insumos e EPIs exigidos pelos órgãos competentes;
3 – Nossos gestores e chefes imediatos deverão ser profissionais de formação equivalente ou superior à nossa, dentro de cada categoria;
4 – Devemos ter treinamento de segurança e atualização anualmente;
5 – Plano de cargos, carreira e vencimento;
6 – Criação de gratificação de risco à COVID-19;
7 – Direito à aposentadoria especial, com salário integral, após 25 anos de contribuição, sem exigência de idade mínima, incorporando gratificações e produtividade média dos últimos 10 anos de contribuição.

Atenciosamente,
Rinaldo de Souza
Recife/PE, 25 de abril de 2020

P.S.: Venho através desta lançar esta proposta de coalizão dos profissionais mais importantes deste país: os de Saúde, Segurança e Educação. “Não vamos mais arriscar nossas vidas em troca de nada”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adicione seu comentário.