sexta-feira, 22 de junho de 2018

O choro de Neymar

Ensaio
Por Mauricio Gonçalves, que é contrário às várias quedas de Neymar e favorável à queda de Michel Temer pelas massas indignadas.

Neymar chora após vitória contra Costa Rica na Copa da Rússia em 2018

Dentro de campo o 2 a 0 foi merecido. Mas, aguentar Galvão Bueno é um castigo. O que não dizem: há sérios problemas na vitória de hoje. A seleção parece não ter equilíbrio emocional. Neymar mais prejudica do que ajuda nisso. Tenta se comportar da melhor forma no interior da posição que a ele foi atribuída: o rei, o herói, o "cara" do time. Bota a bola debaixo do braço e tenta resolver tudo sem a presença dos demais. É ridículo, mas a nossa civilização recria incessantemente o mito do indivíduo extraordinário, quase sobrenatural. Mito que ainda funciona na maioria das vezes, já que talvez expresse o desejo discreto de se diferenciar, de ser notado, de ser reconhecido e valorizado em uma sociedade de crescente indiferença e cinismo. E esse imperialismo do narcisismo é usado tanto para as vendas como para a dominação política. O choro de Neymar ao final do jogo pode ser interpretado como um pedido de ajuda. E a maior ajuda que se pode dar a ele e ao time de conjunto é retirar dele aquilo em que ele foi convencido a acreditar: de que é o sol e o centro de gravidade do time. Se Neymar não for destronado, e a rede Globo só faz colaborar com o seu reinado, não triunfaremos. Podemos e devemos "separar" a vida futebolística da vida nacional, ainda que a Globo, como "partido político" que é, tente usar a seleção para anestesiar o povo, inflar o seu ego e construir a narrativa de grande nação. Neymar tem um grande papel nessa construção. Por isso vem sendo tratado como um menino mimado pela Globo. Tirar a coroa de Neymar, e consequentemente daqueles que o coroaram, poderá ter importância pedagógica e política para além do futebol.

Um comentário:

  1. Neymar, Messi, Cristiano Ronaldo, Kane, são nossos "heróis-deuses". Nossa cultura EXIGE. Lembro-me vagamente... D'outros grandes "deuses-heróis: Ulisses, Aquiles, Apolo, Prometeu... Penso livremente; que necessidade temos dos "semi-deuses?. Existe uma tese do Poeta Fernando Pessoa: "Deus é Deus porque não se pensa Deus..."

    ResponderExcluir

Adicione seu comentário.