segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Sobre o ponto eletrônico na UFPE

Nota
Recebida em 16 de outubro de 2017.
Por Coletivo Graúna.



Nos últimos dias, a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado aprovou proposta que põe fim à estabilidade no serviço público. Sob a pretensa defesa da “eficiência”, o projeto prevê a demissão de servidores públicos com “desempenho insuficiente”. Sabemos bem que longe de garantir melhoria na qualidade no atendimento à população, tal medida será usada para atacar a autonomia do servidor público frente a chefia do momento, comprometendo o princípio da impessoalidade no serviço público. Por outro lado, isso certamente não terá nenhum efeito contra o “mau servidor”, aquele que não vê problemas em participar de “esquemas” irregulares, ou que vive apenas a bajular seus superiores.
Na mesma direção, a reitoria decidiu implementar, de maneira unilateral, o ponto eletrônico para todos os técnicos administrativos da UFPE. Essa ferramenta, pretensamente impessoal, registra apenas a passagem do servidor pelo relógio de ponto duas vezes por dia, e é, por isso, incapaz de garantir o efetivo engajamento do mesmo nas tarefas necessárias ao bom funcionamento da universidade. Além disso, tal ferramenta favorecerá o assédio aos servidores, principalmente aqueles não-alinhados com a chefia do momento.
O Coletivo Graúna se solidariza com os técnicos administrativos, e é contrário à instalação de relógios de ponto eletrônico na UFPE. Chamamos a reitoria a dialogar com a categoria em busca de soluções mais democráticas, que efetivamente contribuam para a melhoria de nossa universidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adicione seu comentário.