segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Nota sobre os guias eleitorais da coligação Mobilização por Poder Popular - PSOL/PMN

Ensaio [1]
29 de agosto de 2014
Por Fabiana Honório, militante ecossocialista e candidata a deputada federal por Pernambuco, n° 5022.

Nesta semana iniciaram-se as propagandas eleitorais de Rádio e TV em Pernambuco. Infelizmente os tempos distribuídos são desiguais e só mostram os limites da democracia no atual regime. A esquerda em Pernambuco apresenta aos trabalhadores três candidaturas: PSTU (Jair Pedro), PCB (Miguel Anacleto) e PSOL (Zé Gomes). Lamentamos profundamente o fato de não ter se consolidado aqui uma Frente entre esses três partidos. Avaliamos que em grande parte a responsabilidade por esta alternativa não ter se apresentado se deve ao fato da aliança com o PMN ter sido imposta pela direção do PSOL, mais precisamente pela sua corrente majoritária, a Unidade Socialista.
Esse tipo de expediente, alianças a todo custo, foi um dos fatores que levaram a degeneração do PT e o transformaram em algo totalmente diferente de sua proposta inicial. Apesar dos posicionamentos contrários da esquerda do partido, a Unidade Socialista de Edilson Silva e Zé Gomes teimam em reproduzir o que há de pior na política. A justificativa para a flexibilização do programa central do PSOL se explica única e exclusivamente no desejo de ascender alguém ao parlamento a todo custo e a toda sorte.
Assistimos estarrecidos ao show de horrores que foram os guias da Frente PSOL/PMN. Enquanto o primeiro pede voto na nossa candidata Luciana Genro, o segundo chama o voto no candidato Aécio Neves do PSDB. Será que para a Unidade Socialista essas candidaturas são tão similares que podem aparecer lado a lado? Temos clareza que não se dá dessa forma.
Assombra-nos também a nova modalidade de “casadinhas”, de alianças “extraoficiais” que vem sendo adotada pelos candidatos ligados ao projeto da direção majoritária do PSOL. A salada de frutas vai de Daniel Coelho (PSDB) até Raul Jungmann (PPS). Todos esses senhores e seus partidos estiveram contra os trabalhadores nos principais momentos de enfrentamento que se processaram nos últimos anos. A flexibilização do programa partidário proposta por Edilson Silva desmoraliza nosso partido e joga o nosso projeto de sociedade, acúmulo de anos de lutas e experiências, na lama.
Diante dos últimos acontecimentos, a candidatura coletiva da Fabiana Honório reitera a sua disposição de construir um programa que enfrente o atual modelo excludente e opressor. Posicionamo-nos contra a aliança com o PMN e estamos construindo nossa candidatura de forma independente, demarcando nossas diferenças com esses setores que, contra a nossa vontade, estão na mesma coligação que nós.
Fomos informados que uma das contrapartidas dessa coligação seria o financiamento da gravação para os guias eleitorais por parte do PMN. É em função disso que recusamos a nossa participação na gravação para a exibição no guia. Consideramos inadmissível que a nossa militância seja envolvida nesse tipo de financiamento oriundo de um partido que por anos se localizou com os principais partidos da ordem no Estado. Esforçamo-nos para que todos os recursos e estruturas que possibilitem a construção coletiva de nossas candidaturas sejam frutos da contribuição d@s militantes e simpatizantes do nosso projeto. Alienar-se da origem do financiamento das campanhas do nosso partido, apoiando-se apenas na confiança nesse “aliado” de coligação, é dar o primeiro passo, muitas vezes sem volta, na descaracterização do projeto socialista e permitir-se cooptar pela estrutura institucional da qual deveríamos ter independência.
Se quem paga a banda escolhe a música, acabamos de ver nesta semana de exibições dos guias de rádio e TV que a toada dessa eleição é uma marcha fúnebre. Não à toa o PMN se dará ao direito de chamar voto ao seu candidato Aécio Neves para logo depois lembrar que para o governo do Estado apoia Zé Gomes, na qual tem uma de suas filiadas na condição de vice na chapa. A marcha fúnebre que encanta a direção do PSOL não faz parte da nossa lista de reprodução.

Fabiana Honório - Deputada Federal 5022 – Pernambuco
Para acessar as propostas da candidatura, clique aqui.

Nota
[1] Administrado pelo Movimento Síntese Socialista, o blogsintese é aberto a colaborações de ativistas e intelectuais ligados aos interesses das classes populares e dos trabalhadores. Em debate interno, o Síntese definiu apoio à candidatura de Fabiana Honório 5022 para deputada federal. Este texto é parte da divulgação dos materiais e posições da candidatura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adicione seu comentário.