quarta-feira, 16 de julho de 2014

Livro sobre as jornadas de junho será lançado em Recife PE

Ensaio
15 de julho de 2014
Por Mauricio Gonçalves, militante social e doutorando em Ciências Sociais pela UNESP [Araraquara].

No próximo sábado, dia 19 de julho de 2014, às 17h na Livraria Jaqueira acontecerá o lançamento do livro As jornadas de junho: os significados do retorno das manifestações de massas no Brasil. Trata-se de um empreendimento coletivo, uma coletânea de textos de ativistas e/ou pesquisadores, professores e estudiosos das questões sociais de Pernambuco [muitos da UFPE, UFRPE e UNICAP] e de outros estados da federação, que tem o objetivo de contribuir para o entendimento dos vários significados do cenário político e social que se abriu com as maiores manifestações de massas no país desde o impeachment de Collor em 1992.
A lista de autores é vasta: Antonio De Campos • Betto della Santa • Coletivo Anarquista Núcleo Negro • Daniel Rodrigues • David Cavalcante • Délio Mendes • Drance Elias da Silva • Evson Malaquias • Gutemberg Miranda • Hélio Cabral Lima • Ivo Tonet • Jailson Leonardo de Oliveira • Jesualdo Campos Junior • Manoel Moraes • Marcelo Barros • Marco Mondaini • Marcos Costa Lima • Maria Orlanda Pinassi • Mauricio Gonçalves • Michel Zaidan Filho • Natália Paulino • Plínio de Arruda Sampaio • Silvia Beatriz Adoue.
Por uma infeliz coincidência, o ensaio de Plínio de Arruda Sampaio é um dos seus últimos textos em vida dado o seu lamentável falecimento. A iniciativa é uma das ações do Projeto Espaço Socialista que realiza também debates públicos bimensais. Ele tem como objetivos: (1) criar um fórum de debates permanente que seja crítico e autocrítico das e para as esquerdas em Pernambuco; (2) servir como ponto de apoio para aglutinação de ativistas e interessados nas lutas sociais de libertação dos explorados e oprimidos; (3) colaborar para o desenvolvimento de uma cultura de tolerância entre ativistas sociais de diferentes origens e tradições; (4) ajudar na formação teórico-política das gerações atuais e futuras.

Algumas perguntas e respostas feitas por uma jornalista sobre o livro:
(1) Como nasceu a ideia de lançar o livro “As jornadas de junho”?
O livro é parte do Projeto Espaço Socialista, que realiza debates públicos periódicos. Em 05 de julho de 2013, ainda durante algumas manifestações decorrentes das jornadas de junho, realizamos um debate com integrantes de entidades estudantis, sindicais e políticas. A partir daí, resolvemos colher textos dos debatedores presentes, ativistas e professores/pesquisadores de Pernambuco e de outros estados da federação com o objetivo de produzir um livro que colaborasse nas reflexões sobre os significados políticos e sociais do retorno das manifestações de massas no Brasil.

(2) Por que ele é importante? Qual a contribuição que proporciona?
Pelo fato de contemplar análises diversas e complementares sobre as jornadas. Em suma, por proporcionar em um único livro um painel mais ou menos abrangente dos diversos aspectos das manifestações. Por ser um livro que procura colaborar na formação teórica e política e por ser feito para e por ativistas, sejam professores ou não. Outra contribuição dele está em possibilitar uma visão de como os ativistas sociais/políticos e os professores e pesquisadores percebem o Brasil de hoje. Serve também como forma de autoavaliação. Mostra como nós mesmos nos enxergamos na atual conjuntura.

(3) Quem é o público-alvo?
Ativistas sociais, militantes políticos e/ou de entidades civis, estudantes, trabalhadores e interessados em geral pelas questões ligadas à realidade social e política.

(4) O lançamento vai contar com algum debate?
Vai contar com vídeos sobre as jornadas, homenagem a Plínio de Arruda Sampaio (um dos autores infelizmente recentemente falecido) e intervenções dos autores presentes sobre "As jornadas um ano depois".

(5) Ele está disponível em todas as livrarias? Só algumas? Quais? Qual o valor do exemplar? O livro é uma compilação de artigos?
O livro estará disponível a priori na Livraria Jaqueira ou com os organizadores do projeto através do email espacosocialistape@yahoo.com.br
Vamos trabalhar para colocá-lo na Livraria Cultura também. O valor aproximado é de $25. Trata-se de uma coletânea com 22 textos em vários formatos: artigos, ensaios, perguntas e respostas.

Abaixo a nota que fiz como organizador do livro e que serve para dar uma ideia de sua proposta.

Nota do organizador
Em 05 de julho de 2013, no Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações de Pernambuco [Sinttel], ocorria mais um debate público do Projeto Espaço Socialista [PES]. As jornadas de junho ainda estavam recentes, os protestos que tinham surgido a partir delas ainda não tinham cessado e naquela ocasião o projeto resolveu reunir estudantes, sindicalistas, militantes de movimentos sociais, membros de partidos políticos e interessados em geral, das mais diversas origens e concepções ideológicas, para debater os significados e os rumos das maiores manifestações de massas no Brasil desde o Fora Collor em 1992.
Do debate presencial surgiu a ideia de produzir um livro que pudesse contemplar os resumos das intervenções dos debatedores – alguns não colaboraram, como a CUT-PE e os DCEs da UNICAP e da UFRPE – e também posições de professores/pesquisadores, militantes, membros de movimentos sociais e de organizações da sociedade civil ligados aos interesses do trabalho e dos trabalhadores. Em suma, um painel com as opiniões e avaliações das jornadas por diversos estudiosos e ativistas. O presente volume é o resultado de tal ideia. Esperamos que seja o primeiro organizado pelo Projeto Espaço Socialista.
Os textos reunidos foram feitos a partir de perguntas comuns enviadas à quase totalidade dos colaboradores: (a) qual a origem e a natureza dos protestos atualmente existentes no Brasil?; (b) qual a composição social e política dos manifestantes?; (c) qual o papel das esquerdas brasileiras no atual contexto?; (d) como as três questões acima se expressam em seu estado [unidade de federação]?
Os textos foram chegando aos poucos. Quase todos foram produzidos ao longo do segundo semestre de 2013. Para facilitar a leitura, estão organizados por ordem cronológica. As suas formas também são diferentes. Enquanto alguns preferiram fazer textos que se aproximam da forma artigo, outros utilizaram uma linguagem mais coloquial e em formato de perguntas e respostas. Entendemos que isso não compromete o objetivo deste volume. Portanto, além de certa extensão temporal, há também a heterogeneidade de formatos entre as colaborações recebidas.
O que dá unidade a todos os textos é sua vinculação com o horizonte político-social das esquerdas emancipatórias: todos os autores, independentemente de suas visões ideológicas, entendem que é necessário realizar a crítica ao status quo atual e de que ele precisa ser transformado. Todavia, ficará claro para o leitor que tanto os diagnósticos da realidade atual quanto os remédios para a sua transformação tem suas especificidades de autor para autor.
Com esse painel de análises sobre as jornadas de junho, esperamos contribuir para que sínteses dialéticas sejam produzidas. E para que novas jornadas possam emergir.
Os autores não cobraram direitos autorais.
Boa leitura!
Maurício Gonçalves

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adicione seu comentário.