segunda-feira, 6 de julho de 2020

O PSB de Pernambuco

Ensaio
Por Michel Zaidan Filho, professor titular aposentado da UFPE.

Geraldo Júlio, Renata Campos e Paulo Câmara

A criação do PSB (Partido Socialista Brasileiro) ocorreu nos idos de 1945. Era originalmente um agrupamento político de intelectuais independentes que faziam crítica ao chamado “socialismo real” e ao PCB. Durante muito tempo foi uma espécie de contrafação do universo comunista. Até o surgimento do PT. Muitos comunistas se candidataram pela legenda do PSB quando sua legenda continuava proscrita. A grande deficiência desse partido foi sua ausência nos sindicatos e movimentos sociais, ao contrário dos seus congêneres europeus. Partido de intelectuais liberais e pequeno-burgueses. Em Pernambuco não foi diferente.

sexta-feira, 3 de julho de 2020

Por uma frente de esquerda insubmissa ao PSB em Recife!

Nota
Por Paulo Rubem Santiago, professor da UFPE e pré-candidato a prefeito em Recife em 2020.

Paulo Rubem Santigo, pré-candidato a Prefeito de Recife/PE

No momento em que nos aproximamos das definições partidárias sobre a tática para a disputa eleitoral em 2020, o PSOL retomou [o debate] sobre que caminho seguir na disputa pelos rumos da cidade do Recife. Apresentamos a pré-candidatura de Paulo Rubem pelo PSOL entendendo que essa discussão parte de um balanço necessário sobre os últimos 20 anos em que o Recife foi administrado por gestões em aliança [entre] os partidos progressistas.

segunda-feira, 22 de junho de 2020

Autoengano

Ensaio
Por Flávio Barbosa, psicanalista e cronista de fatos pitorescos do "patropi"*.

*Para quem desconhece o termo "patropi", ele é um acrônimo que quer dizer “país tropical”, como também é conhecido o Brasil em versos e samba.

Queiroz é preso em Atibaia/SP

Imaginem que uma nuvem tóxica pairou sobre o céu brasileiro encobrindo todo território nacional e afetando nossas percepções, comunicações e, por conseguinte, a nossa capacidade de entendimento das coisas. Em assim sendo, bem podemos narrar os fatos que nos sucedem da maneira que descreverei abaixo. A despeito da prisão na semana passada daquele em que nos perguntávamos sobre seu sumiço havia muito tempo: o corretor da família Bolsonaro, ele, o Queiroz (…).

sábado, 20 de junho de 2020

O caminho foi apontado: avançar é preciso!

Ensaio
Por Ivanildo José, que é militante social há décadas e mora em Recife/PE.

Ato pela democracia, contra o racismo e pelo "Fora, Bolsonaro!"

Parte do Brasil antirracista, antifascista, democrático e dos 70 por cento antibolsonaro, esteve nas ruas em 07 de junho com suas máscaras antivírus, com seu álcool e o mais importante, com suas bandeiras de lutasOutra parte dos lutadores e das lutadoras, que empunham as mesmas bandeiras e defendem as mesmas causas, compreensivelmente, ficaram em casa. Estavam em casa em comunhão, em ligação direta e em solidariedade com os que estavam nas ruas. Muitas panelas foram batidas nas janelas pelo “fora, Bolsonaro!”. Portanto, o povo expressou, nas ruas, nas janelas e na solidariedade, seu desejo por democracia, por igualdade racial, social e de gênero, pelo “fora, Bolsonaro!” e pela vida.

segunda-feira, 15 de junho de 2020

O que os militares da Venezuela e dos Estados Unidos tem e os do Brasil não?

Ensaio
Por Armando Rodrigues Coelho Neto, que é jornalista, delegado aposentado da Polícia Federal e ex-integrante da Interpol em São Paulo.

O bolsonarismo penetra nas Forças Armadas

Essa pergunta deve ser respondida de pronto: vergonha na cara! Afinal, após 32 anos de vigência da Constituição Federal, um ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) precisa proferir sentença para dizer o papel das Forças Armadas. Isso é sinal de que nunca leram a Carta Magna. Exceções à parte, obviamente.

terça-feira, 9 de junho de 2020

Sofismo

Ensaio
Por Flávio Barbosa, que é psicanalista.

Olavo de Carvalho e Abraham Weintraub: novos sofistas decadentes?

Lá pelo século V a.C. surgiu na Grécia um método argumentativo, de retórica e oratória, de viés filosófico, chamado sofismo. Em verdade, o sofismo foi muito criticado por filósofos como Sócrates, Platão e Aristóteles que diziam que este pensamento não se tratava de uma escola filosófica, sequer uma filosofia, mas uma fraude, um engodo, uma falsificação, e era assim que eles tratavam os sofistas, os praticantes desse método.

sábado, 6 de junho de 2020

O porrete da filha do general

Ensaio
Por Armando Rodrigues Coelho Neto, jornalista, delegado aposentado da Polícia Federal e ex-integrante da Interpol em São Paulo.

Charge do episódio ilustrativo na Avenida Paulista no dia 31 de maio de 2020

Título completo: “O porrete da filha do general. Golpe limpinho e cheiroso já era”.

Qual a avaliação possível sobre esse momento da Polícia Federal em que ao mesmo tempo em que cria embaraços para o “presidente” da República serve de braço para atacar inimigos dele? Por ter vivido mais de três décadas dentro da PF, o repórter supôs que este ex-servidor público pudesse fazer uma análise sensata sobre mais uma pirotecnia policialesca dos tempos atuais. Aliás, não apenas policialesca, mas também judicialesca, ministerialesca, etc. e tal.

sexta-feira, 5 de junho de 2020

Eles, os indesejáveis

Ensaio
Por Dário Santos, mestre em História – UFPE.

Membros da Gaviões da Fiel

Eles são famosos pela violência. Eles são os responsáveis pelo clima de confronto nos domingos de clássico de futebol. Eles também compõem números significativos nas comunidades e periferias, onde desejosos de integração, distinção social e pertencimento, vestem as camisas de seus times e fazem do espaço urbano em dias de jogos, um espaço de confrontos e cantos. Eles quebram carros, ônibus, bancos, placas. Eles, inclusive, se matam. Eles são temidos pela imagem de violência que construíram, são os outros, os torcedores organizados, os indesejados.

domingo, 24 de maio de 2020

Ignorâncias

Ensaio
Por Flavio Barbosa, psicanalista.

Bolsonaristas zombam da covid-19 e dos mortos da pandemia

Jacques-Marie Lacan (1901-1981), psicanalista francês, fazia duas definições da ignorância: a ignorância crassa e a ignorância douta. A ignorância crassa ele a definia como um “desejo de um desejo de não saber”. Notem, não se trata simplesmente de um desejo de não saber, mas de um desejo de não desejar, ou seja, um desejo de não desejar saber. Não é só não querer saber, é não desejar sequer desejar saber, um desejo de apagar um desejo. De não tê-lo.

quarta-feira, 20 de maio de 2020

O Brasil e a grande infecção do imaginário

Ensaio
Por Flavio Barbosa, psicanalista.

Manifestantes bolsonaristas

Recebi um vídeo em que uma senhora, já de uma certa idade, chama Bolsonaro de pai e pede sua interferência no estado de Pernambuco, pois, segundo ela, não é o governador que “manda” lá. Do ponto de vista psicanalítico, essa senhora se coloca como uma criança evocando o “Grande Pai” diante da sua minoridade cognitiva, moral e ética. Ela se posiciona como uma “menina” que precisa efetivamente do “paizão” pra cuidar dos seus dilemas, de suas dificuldades de entendimento das coisas e de sua impossibilidade de ter constituído uma vida adulta. Ela precisa de alguém que faça por ela o que ela não é capaz de fazer.